RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável

RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável

RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável
Loading...

Curso Um Brasil Sustentável aborda as quatro dimensões da sustentabilidade


Publicado em 03/09/2018

Da direita para a esquerda: Rubens Filho, do Instituto Trata Brasil, Zysman Neiman e Jaqueline Bória, ambos professores da Unifesp

 
O curso Um Brasil Sustentável, realizado em cinco noites: dias 14, 15, 16, 22 e 23 de agosto, em São Paulo (SP), abordou a sustentabilidade em seus mais diversos âmbitos, com debates de especialistas nas áreas ambiental, econômica, social e política. Painéis sobre mudanças climáticas, saneamento básico, combate à cultura da corrupção, reforma fiscal e respeito à pluralidade fizeram parte da primeira semana do curso. O evento foi uma parceria da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade – RAPS, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), do Canal Um Brasil e da FecomercioSP.
O primeiro dia contou com a presença de Mônica Sodré, diretora executiva da RAPS; Soraya Smaili, Reitora da Unifesp; Andrea Rabinovici, Chefe de Gabinete da Reitoria da Unifesp; e José Goldemberg, Presidente do Conselho de Sustentabilidade da Fecomercio. A dimensão política da sustentabilidade, a relação entre sociedade civil, universidades e governos, e as conferências do clima dos últimos 30 anos foram abordadas na conversa. Confira mais informações sobre o primeiro painel clicando aqui.
O segundo painel, que ocorreu durante o dia 14, contou com a presença de Sérgio Leitão, Diretor Executivo do Instituto Escolhas, João Paulo Capobianco, presidente do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), e com a mediação de Zysman Neiman, professor da Unifesp, que debateram sobre mudanças climáticas. Entre os temas debatidos pelos palestrantes, pode-se destacar o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, organismo que debate as ações do país para a implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidas na COP 21, em Paris, e a visão de futuro para a promoção de políticas públicas. Para Leitão, “O estado brasileiro é fraco com os fortes e forte com os fracos”, ao se referir à força dos governos para o combate das alterações do clima”.
Na segunda noite, o curso contou com dois temas muito presentes durante o período eleitoral: saneamento básico e combate à cultura da corrupção. Rubens Filho, coordenador de comunicação do Instituto Trata Brasil, e Jaqueline Bória, professora e pesquisadora do Instituto das Cidades da Unifesp debateram sobre as 4 vertentes do tema (resíduos sólidos, água, esgoto e drenagem), investimentos em saneamento básico e saúde e a Lei do Saneamento Básico (nº 11445/2007).
O segundo painel contou com a presença de Moisés Rabinovici, jornalista e fundador do Museu da Corrupção, Bruno Brandão, diretor executivo da Transparência Internacional no Brasil, e com a mediação do jornalista Leandro Berguoci. Questionamentos sobre a cultura da corrupção no país e na América Latina, a história da corrupção no Brasil e a judicialização da política estiveram entre os temas abordados.
No terceiro dia de painéis, o primeiro tema abordado foi relacionado à reforma fiscal, com discussões sobre a securidade social, principalmente relacionada à reforma da previdência. A rigidez orçamentária e a Lei de Securidade Fiscal também foram abordados por Bernard Appy, economista e diretor do Centro de Cidadania Fiscal (CCIF), e Odilon Guedes, ex-vereador e professor de Economia no Setor Público, mediados pela jornalista Thaís Herédia. Segundo Appy, uma das grandes questões é a injustiça causada pela carga tributária indireta existente no país: “Para você ser justo, você precisa tratar os diferentes de forma diferente”, completou.
O segundo tema abordado na terceira noite foi a pluralidade. Kaká Werá, liderança indígena, ressaltou a importância da visibilidade indígena, traçando um histórico da luta e da população indígena na sociedade brasileira. Ele foi membro da segunda edição do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Lideranças Públicas, realizado pela RAPS em parceria com a Fundação Lemann. Além de Kaká, participou do debate a professora de Terapia Ocupacional da Unifesp, Débora Galvani, mediados pelo jornalista Denis Russo. A questão da xenofobia, da divulgação, apropriação dos espaços e do lugar de fala dos diversos grupos sociais também fizeram parte do debate.
Na semana seguinte, painéis sobre Cidades Sustentáveis, Reforma Política, Educação e Combate à Desigualdade fizeram parte do Curso Um Brasil Sustentável. Todos os debates foram gravados e serão disponibilizados em breve na plataforma do canal Um Brasil.


TAGS: CorrupçãoFecomercioSPmudanças climáticasODSPluralidadeReforma FiscalSaneamento básicoSustentabilidadeUM BRASILUm Brasil SustentávelUNIFESP


Newsleter

RECEBA A NEWSLETTER DA RAPS

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento

* Campo obrigatório

Blog

Nossas Notícias

RAPS - Agradecimento

RAPS – Agradecimento

  A Rede de Ação Política pela Sustentabilidade – RAPS trabalha há 6 anos pela melhoria da democracia no Brasil....

Saiba Mais
RAPS Newsletter – Ano 3, nº 25

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 25

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 25 Editorial As lideranças RAPS que disputam as eleições 2018, o artigo “O ativismo...

Saiba Mais
RAPS Newsletter - Ano 3, nº 24

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 24

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 24 Editorial Os destaques da semana são: o novo site da RAPS; os 100...

Saiba Mais

Mapa de CandidaturasCandidatos(as) eleitos(as) 2018