RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável

RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável

RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável
Loading...

Curso Um Brasil Sustentável aborda as quatro dimensões da sustentabilidade


Publicado em 03/09/2018

Da direita para a esquerda: Rubens Filho, do Instituto Trata Brasil, Zysman Neiman e Jaqueline Bória, ambos professores da Unifesp

 
O curso Um Brasil Sustentável, realizado em cinco noites: dias 14, 15, 16, 22 e 23 de agosto, em São Paulo (SP), abordou a sustentabilidade em seus mais diversos âmbitos, com debates de especialistas nas áreas ambiental, econômica, social e política. Painéis sobre mudanças climáticas, saneamento básico, combate à cultura da corrupção, reforma fiscal e respeito à pluralidade fizeram parte da primeira semana do curso. O evento foi uma parceria da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade – RAPS, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), do Canal Um Brasil e da FecomercioSP.
O primeiro dia contou com a presença de Mônica Sodré, diretora executiva da RAPS; Soraya Smaili, Reitora da Unifesp; Andrea Rabinovici, Chefe de Gabinete da Reitoria da Unifesp; e José Goldemberg, Presidente do Conselho de Sustentabilidade da Fecomercio. A dimensão política da sustentabilidade, a relação entre sociedade civil, universidades e governos, e as conferências do clima dos últimos 30 anos foram abordadas na conversa. Confira mais informações sobre o primeiro painel clicando aqui.
O segundo painel, que ocorreu durante o dia 14, contou com a presença de Sérgio Leitão, Diretor Executivo do Instituto Escolhas, João Paulo Capobianco, presidente do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), e com a mediação de Zysman Neiman, professor da Unifesp, que debateram sobre mudanças climáticas. Entre os temas debatidos pelos palestrantes, pode-se destacar o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, organismo que debate as ações do país para a implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidas na COP 21, em Paris, e a visão de futuro para a promoção de políticas públicas. Para Leitão, “O estado brasileiro é fraco com os fortes e forte com os fracos”, ao se referir à força dos governos para o combate das alterações do clima”.
Na segunda noite, o curso contou com dois temas muito presentes durante o período eleitoral: saneamento básico e combate à cultura da corrupção. Rubens Filho, coordenador de comunicação do Instituto Trata Brasil, e Jaqueline Bória, professora e pesquisadora do Instituto das Cidades da Unifesp debateram sobre as 4 vertentes do tema (resíduos sólidos, água, esgoto e drenagem), investimentos em saneamento básico e saúde e a Lei do Saneamento Básico (nº 11445/2007).
O segundo painel contou com a presença de Moisés Rabinovici, jornalista e fundador do Museu da Corrupção, Bruno Brandão, diretor executivo da Transparência Internacional no Brasil, e com a mediação do jornalista Leandro Berguoci. Questionamentos sobre a cultura da corrupção no país e na América Latina, a história da corrupção no Brasil e a judicialização da política estiveram entre os temas abordados.
No terceiro dia de painéis, o primeiro tema abordado foi relacionado à reforma fiscal, com discussões sobre a securidade social, principalmente relacionada à reforma da previdência. A rigidez orçamentária e a Lei de Securidade Fiscal também foram abordados por Bernard Appy, economista e diretor do Centro de Cidadania Fiscal (CCIF), e Odilon Guedes, ex-vereador e professor de Economia no Setor Público, mediados pela jornalista Thaís Herédia. Segundo Appy, uma das grandes questões é a injustiça causada pela carga tributária indireta existente no país: “Para você ser justo, você precisa tratar os diferentes de forma diferente”, completou.
O segundo tema abordado na terceira noite foi a pluralidade. Kaká Werá, liderança indígena, ressaltou a importância da visibilidade indígena, traçando um histórico da luta e da população indígena na sociedade brasileira. Ele foi membro da segunda edição do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Lideranças Públicas, realizado pela RAPS em parceria com a Fundação Lemann. Além de Kaká, participou do debate a professora de Terapia Ocupacional da Unifesp, Débora Galvani, mediados pelo jornalista Denis Russo. A questão da xenofobia, da divulgação, apropriação dos espaços e do lugar de fala dos diversos grupos sociais também fizeram parte do debate.
Na semana seguinte, painéis sobre Cidades Sustentáveis, Reforma Política, Educação e Combate à Desigualdade fizeram parte do Curso Um Brasil Sustentável. Todos os debates foram gravados e serão disponibilizados em breve na plataforma do canal Um Brasil.


TAGS: CorrupçãoFecomercioSPmudanças climáticasODSPluralidadeReforma FiscalSaneamento básicoSustentabilidadeUM BRASILUm Brasil SustentávelUNIFESP


Newsleter

RECEBA A NEWSLETTER DA RAPS

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento

* Campo obrigatório

Blog

Nossas Notícias

RAPS Newsletter - Ano 3, nº 35

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 35

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 35 Editorial O Encontro Anual RAPS 2018, o painel “Participação Política pelo Fim da...

Saiba Mais
RAPS Newsletter - Ano 3, nº 34

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 34

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 34 Editorial O 7º Processo de Seleção RAPS, os agradecimentos pelo Dia de Doar,...

Saiba Mais
RAPS Newsletter - Ano 3, nº 33

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 33

RAPS Newsletter – Ano 3, nº 33 Editorial O Dia de Doar, o 7º Processo de Seleção RAPS e a...

Saiba Mais

RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável7º Processo de Seleção RAPS

Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support