RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável

RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável

RAPS - Empreendendo na política por um Brasil sustentável
Loading...

Empreendedor cívico fala ao Portal RAPS sobre sua atuação na sociedade civil


Publicado em 19/01/2015

carlos-hoffmannO Portal RAPS conversou com Carlos Hoffmann, empreendedor cívico que entrou na rede de Líderes Políticos RAPS em 2013. Carlos, que tem uma atuação expressiva na área social e formação em política, educação e administração, falou sobre os principais projetos nos quais está envolvido atualmente. Confira abaixo o bate-papo com ele.
RAPS – Você tem uma formação que contempla diferentes áreas, como: educação, administração e política. Como essa formação holística contribui para a sua atuação social?
Carlos Hoffmann – Contribui de forma decisiva. Ver e auxiliar o outro só é possível de forma concreta a partir do entendimento das múltiplas realidades. O fato de eu ter buscado essa formação holística contribui muito neste sentido. É realmente positivo ter a sensibilidade e desprendimento da educação, a objetividade e planejamento da administração e o fortalecimento das relações e entendimento do contexto social a partir da visão política e sociológica.
RAPS – Sabemos que você está à frente de 3 projetos: Nossa Eldorado do Sul, Artistas de Rua e Mãos Amigas. Poderia falar um pouco sobre eles?
CH – O Nossa Eldorado do Sul é um movimento de cidadania que visa construir uma cidade melhor para todos a partir da colaboração cidadã; em espaço para conhecer, debater, inspirar e transformar a cidade. Trata-se de um movimento apartidário, sem fins lucrativos, formado pela sociedade civil, que trabalha pela participação da sociedade nas políticas públicas e pela criação de uma agenda positiva para a cidade.
O projeto Artistas Urbanos busca fazer um mapeamento colaborativo dos artistas que trabalham na rua ou em espaços públicos e abertos da cidade de Porto Alegre e de todo o estado do RS. Abrange diferentes gêneros artísticos: teatro, dança, capoeira, folclore, representação por mímica, artes circenses, artes plásticas, música, literatura e poesia, entre outros. A iniciativa conta com o financiamento da Secretaria de Estado da Cultura por meio do Fundo de Apoio à Cultura – PRO-CULTURA RS, da Secretaria Municipal da Cultura por meio do FUMPROARTE e tem parceria com o Grupo de Estudos e Pesquisas em Ideologias Políticas e Movimentos Sociais da Unisinos.
Por fim, estou à frente da iniciativa Rede Social Mãos Amigas, que foi criada em 2008 no bairro Restinga Velha, em Porto Alegre (RS). O projeto atua a partir dos conceitos-chave de cidadania e bem-estar social e visa promover o protagonismo social nas comunidades por meio de diversos tipos de ações. Trabalhamos em rede. Desde 2008, já geramos impacto positivo em milhares de pessoas.
RAPS – Para você, um empreendedor social precisa do que para levar um sonho adiante?
CH – Pessoas, redes de relacionamento estáveis e recursos. Basicamente, capital social, humano e financeiro. Não é fácil, geralmente um destes pilares mostra-se ausente, mas com o capital social todo o resto pode ser viabilizado.
RAPS – Para você, qual a diferença entre empreendedorismo social e assistencialismo? Você considera este último (assistencialismo) válido para o desenvolvimento de uma sociedade?
CH – O assistencialismo deve ser, no máximo, temporário e com o objetivo de “levantar a pessoa” para o seu protagonismo; para o seu empreendedorismo. O assistencialismo puro e permanente serve apenas a projetos nefastos de poder e dominação. Infelizmente, ainda vemos no Brasil muitas iniciativas assistencialistas, sem perspectiva de evolução.
RAPS – Na sua opinião, a sociedade civil está interessada pela política institucional? 
CH – Infelizmente, não. Poucos estão na política visando o bem-comum. Pouquíssimos tem uma visão aberta e comunitária, solidária e humana. Muitos reclamam, mas não se envolvem e não contribuem positivamente para o aprimoramento da política institucional. As pessoas não percebem que agir assim apenas reforça a figura do político corrupto, antiético e sem escrúpulos. Só conseguiremos mudar isto quando a própria sociedade perceber a importância de seu papel e exercê-lo com firmeza. O envolvimento e protagonismo dos cidadãos é essencial.


TAGS: Atuação da rede


Newsleter

RECEBA A NEWSLETTER DA RAPS

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento

* Campo obrigatório

Blog

Nossas Notícias

Diretora-executiva da RAPS, Mônica Sodré ministra palestra na Escola de Jovens Líderes do RN

Diretora-executiva da RAPS, Mônica Sodré ministra palestra na Escola de Jovens Líderes do RN

Mônica Sodré fala aos alunos da Escola de Jovens Líderes A diretora-executiva da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade –...

Saiba Mais
Líder RAPS e deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) promove primeira edição do Gabinete Itinerante

Líder RAPS e deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) promove primeira edição do Gabinete Itinerante

Foto: Rodrigo Azevedo A Lider RAPS e deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) realizou no sábado, 16 de março, a primeira...

Saiba Mais
Cinco Líderes RAPS tomam posse na Alesp

Cinco Líderes RAPS tomam posse na Alesp

Os 94 deputados estaduais eleitos em outubro de 2018 assumiram seus mandatos nesta sexta-feira, dia 15 de março, em cerimônia...

Saiba Mais

Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support